quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

PORTIFÓLIO DE PROJETOS
VAN CURTT04:04 0 comentários


ÁREA EXCLUSIVA PARA EDITORA:
ACESSE CONTATO 

DRAMA:

LEIA UM TRECHO:
Pois bem, faz um mês que descobri sobre um câncer intestinal, no entanto, os médicos me admitiram não ter muito o que ser feito devido ao estágio avançado da doença. Fui apresentado à Michele nesta difícil etapa de contestação; é ela a oncologista que administra o meu caso e quem teve me aconselhado a proceder desta forma: escrevendo algumas cartas até que escrever não faça mais sentido.
Michele disse ser melhor para mim relevar os desafetos que conquistei na empresa nestes últimos dias e, me aproximar das pessoas que amo, porque, estar no seio familiar deveria contribuir ante a prática da aceitação.
Depois que relatei nossa história tentando justificar a impossibilidade de dividir esta fase com as pessoas que amo, ela me disse:

“Então escreva-a cartas... conte a ela como tudo aconteceu depois de ela ter partido, conte tudo, inclusive, como tens enfrentado o estágio irrequieto da aceitação”.
________________________________________________________________________________

THRILLER POLICIAL:


LEIA UM TRECHO:
“Alô” (...) ele atendeu o celular, ainda sonambulando.
“Denúncia de assassinato, homem, quarenta e cinco, morto em casa... dirija-se para lá imediatamente”. A ligação cortou e Marcelino aproveitou para acender o abajur; conferiu ao seu lado o rosto de sua esposa se contorcendo pela luminescência e admirou-a alguns segundos antes de se colocar de pé.
Para ele, fizera uma troca justa, como justo é se trocar um Fiat 147 por um feroz Chrysler 300c que há de se mostrar aos amigos e se orgulhar por dirigi-lo. Sua atual esposa 27 anos mais nova que ele, carecia de mais combustível que um Chrysler, e isso, impulsionava-o saltar cedo da cama para poder mantê-la.
“Onde? Mais um bandidinho favelado?” resmungou enquanto abotoava as calças buscadas no chão, devido à voracidade do “amor” de ontem... sua barriga flácida quase cobriu o cinto quando abotoou, mas, ele reorganizou enfiando-a sob ele. Sua nova esposa lhe exigiu uma melhor forma física e sua pele parecia ainda não ter sido informada e, não se adequara a sua nova condição, pois, após perder mais de 50 quilos adquiriu uma cinta de pele gelatinosa circundando a cintura, estranho e tão feio quanto presenciar a imagem de calças jeans dividindo as nádegas de um cantor sertanejo.
“Ricardo Santê’s foi o orador do evento que aconteceu hoje... Ainda estás dormindo, Marcelino? Um cara pra se espelhar: diretor da “Palm”. Foi assassinado há poucos minutos”.
Porque está gritando, merda. Pensou, mas, Marcelino reorganizou suas ideias e aferiu.
“Estou terminando de me arrumar, afinal; o que é Palm?” Sua barriga parecia não caber dentro das novas calças “sertanejas” que Flávia lhe obrigara a comprar.
“Palm Editora! Concedeu-lhe uma entrevista segundo a repercussão mundial de seu livro, Ganância, lançado originalmente em alemão e depois de alguns meses, traduzido para uma dezena de outros idiomas... O cara que autografou o livro pra você quando saía do evento de hoje”.
Marcelino passeou os olhos pelo livro recebido de Santê’s, fechado sobre a escrivaninha; quando por uma piada, disse a Ricardo ser fluente em russo e ele acreditou presenteando-lhe com uma edição russa de Ganância. Agora Marcelino estava agradecido pela morte de Santê’s e ter-se extinguido permanentemente do encontro onde o autor questiona ao leitor ter apreciado o livro.
“Merda... o livro é uma edição russa...
“É sim... Anote o endereço:” Cássio aguardou que Marcelino apanhasse uma caneta para enfim, tomar nota; confirmou também que o furgão da CN estaria no local aguardando por ele, com toda sua “equipe montada”.
________________________________________________________________________________

THRILLER POLICIAL:

LEIA UM TRECHO:
Pámela Spellman sentia-se contrafeita desde o amanhecer. Queria poder estar com seu filho Bruno naquele dia tão especial tanto pra si quanto para o garoto, dia no qual ele comemoraria seus sete anos de vida. Recurvou o corpo para se aproximar da câmera integrada ao notebook sobre a mesa do restaurante e redirecionou o foco da filmagem para longe do copo de vinho que bebericava; enfim, clicou para aceitar a chamada de vídeo.
— Mamãe, chame o Bruno pra mim! A ponto-com já entregou o presente? Diga à ele que serei breve e não vou atrapalhar sua festinha.
“Ele não está nada contente com a sua ausência Pámela... fez juras de te odiar pra vida toda e, não sei se isso fará bem pra os dois”. A mãe de Pámela aproximou o rosto da câmera e suas rugas ficaram muito visíveis . “Já disse à ele que você perdeu o voo e contornei a situação”. Sussurrou.
— Por favor mamãe! — fez com os olhos vagueando pelo salão do restaurante até fixá-los no casal da mesa ao lado. — Estou trabalhando.
Quando revolveu sua atenção à tela do eletrônico, notou que Maria havia saído. A câmera capitava algumas crianças correndo com chapéus de festa e um homem que se aproximava em segundo plano.
“Pámela... está ai”?
— Não acredito! Imaginei que você não seria capaz (...) , por isso lhe convidei: nunca ouviu falar de obrigação? Convidei por obrigação.
“Mas convidou. O que aconteceu com a sua pontualidade; ainda neste dia tão importante?” curvou para arrastar uma banqueta e, sua imagem se fixou.
Pelo canto dos olhos, Pámela reafirmou que o casal ainda se mantinha à mesa e confirmou:
— Você ganhou: meu tempo acabou. Já está na hora de anunciar a prisão...

O sorriso dele deslizou
Categoria:
Van Curtt Van Curtt já é citado dentre os maiores nomes da alta literatura contemporânea brasileira, e se consolida a brindar com você leitor seu segundo trabalho, "O Condutor", após o aclamado suspense psicológico "Tabuleiro" (2012), que o apresentou ao mercado e arrebatou a crítica por sua apurada técnica e diálogos sólidos. É hoje munícipe de Uberlândia-Brasil, sua cidade de origem.

0 comentários

Postar um comentário